quinta-feira, 16 de junho de 2011

Os meses que tive você


Nos meses que seus dias foram meus
Quando meus olhos se distraiam admirando os seus
Grafei tantas poesias em tardes fugidias
Banhei-me na chuva de lágrimas sentidas
Que tão distraídas, acompanhei
Passeando em sua fronte menina

Nos meses que sua alegria era tão minha...
Dei gargalhadas, sonhei com sua alma apaixonada
Percorri caminhos imaginários de poeta sonhador
E no prosear diário sempre a encontrei
Camuflei-me na madrugada só para roubar-te um beijo
E proteger-te dos perigos dos pesadelos noturnos
Convoquei passarinhos para acordar-te cedo
Cantando em sua janela e, de bem longe imaginei,
Esse seu sorriso luminoso...

Jamais toquei sua pele, mas sempre senti suas caricias
Jamais beijei seus lábios, mas a brisa tinha a sua maciez
Jamais estive perto de você, mas não esquecerei seu nome
Ainda que pra bem longe, te leve a vida

Nos meses que tive seus sentidos
Fui tão homem e fui tão menino
Que confesso: Perdi-me...

Hoje, ao amanhecer, a chuva me acordou
Tomando meu café amargo
Chamei seu nome baixinho
Para não atrapalhar seu dia
Mas em meu pensamento desperto
E depois de tanta caricia
Sozinho fico, somente tendo a saudade
Como minha fina e constante companhia

Gustavo Sinder

3 comentários:

  1. Caraca isso ficou bonito demais gente...Vixi...Amei! E com certeza a musa inspiradora tbem.Beijos achocolatados

    ResponderExcluir
  2. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog Diálogos Poéticos. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Não perder-se seria jamais ter encontrado!

    Poesia ao vento vem beijar-me a face em raios de sol mornos, com o aroma do teu café...

    ResponderExcluir

Mengoooooooo

Mengoooooooo
Ser Flamengo é ser humano e ser inteiro e forte na capacidade de querer. É ter certezas, vontade, garra e disposição. É paixão com alegria, alma com fome de gol e vontade com definição. Artur da Távola